À semelhança do exemplo anterior também neste caso a obra resulta de um concurso limitado da SCML ganho pela nossa equipa.
O edifício, construído originalmente com apenas dois pisos – por altura do terramoto –, está integrado numa expansão da cidade para esta área, tendo sido ampliado na primeira metade do séc. XIX tal como demonstra o projeto existente em arquivo da Câmara Municipal de Lisboa. À semelhança do que aconteceria em outras áreas consideradas importantes, parece ter havido um cuidado particular com o edificado da Praça das Flores desde a sua origem. Assim a preocupação do projeto foi assegurar a manutenção da qualidade do desenho original, dotando o edifício de condições de uso contemporâneas. A escolha dos materiais, o desenho dos pormenores, a integração dos elementos de valor descobertos durante a obra são determinantes nessa estratégia.

COORDENAÇÃO

Rui Reis Alves

Teresa Belo Rodeia

EQUIPA

arquitetura

Janine Ribeiro

Francisco Plácido

ESPECIALIDADES

Estrutura - Alcides Colaço, EPO lda
Águas - Alcides Colaço, EPO lda
Esgotos - Alcides Colaço, EPO lda
Instalações eléctricas - Domingues Cardoso, DC consultores
Acústica - José Moniz
Térmica - José Moniz
Gás - José Moniz
OVP - Alcides Colaço, EPO lda
Plano de demolições - Alcides Colaço, EPO lda

PROMOTOR

Santa Casa da Misericórdia de Lisboa

CONSTRUTORA

VARAMO

DIRECÇÃO TÉCNICA

Tito Ruas/Luís Cavaco

FISCALIZAÇÃO

Eduardo Figueiredo

FOTOGRAFIA

José Manuel Rodrigues

Reabilitação de edifício na Praça das Flores, Lisboa

2007 - 2012

Vencedor de concurso limitado